A BASF e a European Space Agency – ESA (Agência Espacial Europeia) assinaram um acordo de colaboração para avaliar como os dados e imagens de satélite podem ser utilizados para fins agrícolas. O objetivo a longo prazo  é de interpretar os dados obtidos e transformá-los em ferramentas e serviços digitais, assim os produtores terão o benefício de poder planejar as tarefas diárias de maneira mais eficiente.

Um exemplo de serviço digital seria no uso de produtos de proteção de cultivos e maquinários, onde os produtores receberiam conselhos agronômicos mais direcionados. Os satélites representam uma fonte de dados crucial para as operações de manejo de culturas, pois fornecem informações para uma variedade de decisões agrícolas, tais como datas ideais de plantio e colheita. Os dois parceiros estão empenhados em elaborar, testar e desenvolver serviços digitais inovadores para apoiar as necessidades dos produtores.

“Queremos oferecer valor ao cliente por meio de inovações que atendam às mudanças nas necessidades ambientais e econômicas dos produtores. Iniciativas como esta constituem uma importante contribuição para a nossa conduta de inovação. Nossa experiência e a influência que criamos com nossos parceiros, nos permitem desenvolver ferramentas com foco em conhecimentos agronômicos, visando ajudar os produtores a ter maior sucesso no manejo de suas operações”, explicou o Dr. Rainer Preuss, Vice-Presidente de Estratégia Global e Gerenciamento de Portfólio da divisão de Proteção de Cultivos da BASF.

“Nós, juntamente com a BASF e os produtores, iremos nos concentrar em fornecer informações de satélites em tempo real, para otimizar o uso de fertilizantes e reduzir a demanda de água pelos sistemas de irrigação. Assim, beneficiaremos o meio ambiente e reduziremos os custos. Os dados dos nossos satélites também podem ser usados para melhorar a previsão da produtividade, garantindo um retorno sobre os investimentos europeus no espaço”, disse Josef Aschbacher, diretor dos Programas de Observação da Terra da ESA.

Nesta colaboração, a BASF fornece especialistas e informações das áreas de especialização da empresa como conhecimento agrícola, dados de campo e feedback dos produtores. A ESA apoia o projeto por meio da disponibilização das imagens e dados de satélite.

Fonte: AI