O 3º Levantamento da Safra 2018 de Café, divulgado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) confirma que o Brasil terá a maior produção da sua história. Ao todo, deverão ser colhidas 59,9 milhões de sacas beneficiadas de 60 quilos, em alta de 33,2% em relação à safra passada que foi de 45 milhões de sacas.

Do total previsto, 45,9 milhões de sacas são do café arábica, que teve aumento de 34,1%. Já o café conilon, com menor volume, deve alcançar 14 milhões de sacas, o que representa aumento de 30,3%. De acordo com o estudo, a bienalidade positiva e as boas condições climáticas são as principais responsáveis pelo resultado. Soma-se a isso, o avanço da tecnologia com impacto na produtividade.

O período mais recente de alta bienalidade ocorreu em 2016, quando o Brasil produziu 51,4 milhões de sacas, considerada, até então, a maior safra do grão no país, superada agora, neste ano.

Diretor do Departamento do Café do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Sílvio Farnese, destacou em entrevista, após a divulgação na Conab, a qualidade da atual produção, além do volume. E também o recorde obtido em agosto com a exportação de 3 milhões de sacas.

Comentou ainda sobre a linha de crédito do Plano Agrícola e Pecuário (PAP), para a atividade, no valor de R$ 5 bilhões, sendo R$ 1 bilhão destinado à custeio. “Está havendo demanda bem forte, o que mostra que o produtor está interessado a continuar com a cultura”.

Lembrou também a importância do programa de pesquisa financiado pelo Funcafé e administrado pela Embrapa, que envolve quase 50 entidades públicas e privadas.

Fonte: Mapa