O Brasil já exportou US$ 200 bilhões este ano e importou pouco mais de US$ 135 bilhões. O superávit gira em torno de US$ 65 bilhões e é quase integralmente representado pelo agronegócio. Além disso, o setor primário exportou perto de US$ 100 bilhões em 2017. Os números da balança comercial do campo são espetaculares, mas o governo quer mais. Segundo Eumar Novacki, ministro em exercício da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), o objetivo é vender mais US$ 30 bilhões por ano de produtos agropecuários.

Para atingir esse patamar, é necessário planejamento. Nesse sentido, é muito importante a contribuição do programa Agro+ para melhorar a competitividade do setor e a rapidez no atendimento de demandas dos produtores. Os problemas que chegam à minha mesa ou do ministro Blairo são resolvidos”, disse Novacki durante o Summit Agro 2017, realizado em São Paulo no dia 27 de novembro, com apoio institucional da Associação Brasileira de Marketing Rural e Agronegócio (ABMRA).

A questão ambiental também foi tema do Summit Agro. O ministro da Agricultura em exercício disse que o Brasil tem uma vasta área de preservação ambiental. “66,3% das áreas do País são de cobertura verde no Brasil”, ressaltou aos empresários presentes. Segundo ele, essa parcela mostra o esforço do Brasil na preservação ambiental. “Em nenhum lugar o produtor preserva tanto quanto no Brasil”. De acordo com o ministro interino, com isso o agronegócio deixa de ganhar cerca de R$ 2 trilhões, que ficam “imobilizados a serviço do meio ambiente”, com as áreas de preservação dentro das propriedades rurais.