A Fundação Bunge acaba de anunciar os temas da 62ª edição do Prêmio Fundação Bunge. São eles: Desafios globais da sustentabilidade do agronegócio brasileiro, em Ciências Agrárias e As transformações do Direito brasileiro e seus impactos na teoria geral do Direito, em Ciências Humanas e Sociais.

Criado em 1955, o Prêmio Fundação Bunge tem a proposta de incentivar a inovação e a disseminação do conhecimento e reconhecer os profissionais que contribuem para o desenvolvimento da cultura e das ciências no Brasil, além de estimular novos talentos. Todos os anos, a premiação homenageia dois profissionais para cada uma das duas áreas de atuação profissional, totalizando quatro contemplados: dois na categoria Vida e Obra e dois em Juventude (pesquisadores com até 35 anos).

As indicações ao Prêmio poderão ser realizadas até 30 de maio pelas principais universidades e entidades científicas brasileiras. A partir das indicações, Comissões Técnicas, compostas por especialistas nacionais e internacionais em cada área de premiação, escolhem os homenageados na categoria Juventude e selecionam aqueles cujos trabalhos devem ser observados na categoria Vida e Obra. A decisão cabe ao Grande Júri, formado por reitores e representantes de entidades científicas e culturais, além de Ministros de Estado.

Desde sua criação, mais de 180 personalidades já foram premiadas entre elas Jorge Amado, Oscar Niemeyer, Ruth Rocha, Carlos Chagas Filho, Eurípedes Malavolta, Guto Indio da Costa, Adriana Lisboa e Fernando Abrucio.