A Syngenta anunciou que nos próximos três meses, realizará consultas e engajamentos com stakeholders de todo o mundo, esforçando-se para construir uma visão compartilhada em relação ao futuro da agricultura sustentável. Por meio de escuta e do diálogo, a Syngenta está procurando entender melhor o papel que pode desempenhar e os compromissos necessários de todos os lados para ajudar a tornar a visão compartilhada uma realidade.

Alexandra Brand, Chief Sustainability Officer (CSO) da Syngenta, afirma que “queremos trabalhar em conjunto com os stakeholders para construir fazendas viáveis, produtivas e resilientes, usando tecnologias agrícolas modernas: alimentando o mundo com segurança ao mesmo tempo que cuidamos do planeta. Continuaremos a fornecer aos agricultores e comunidades rurais soluções para ajudá-los a prosperar e oferecer alimentos seguros e nutritivos. Atualmente, a agricultura usa 70% da água doce do mundo¹, além de ser uma das maiores fontes de emissões de gases do efeito estufa². Nossos produtos e soluções ajudam a enfrentar esses desafios e melhorar os resultados para o meio ambiente, especialmente a saúde do solo e a biodiversidade.”

Explicando os motivos pelos quais a Syngenta está fazendo isso agora, Brand comenta: “É hora de ter uma conversa mais direta e inclusiva para ajudar a reconstruir a confiança entre a sociedade e a ciência. Como empresa, precisamos alinhar nosso papel com os papéis dos outros e trabalhar de uma forma que continue a construir a confiança da sociedade nos setores de agricultura e de inovação agrícola. Queremos ter certeza de que somos capazes de responder adequadamente às expectativas de todos os nossos stakeholders, para que possamos avançar juntos e de forma construtiva. A construção de um consenso sobre a forma que os diferentes sistemas agrícolas podem ajudar a apoiar a implementação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas (ONU), será a base sobre a qual as sessões de escuta serão construídas.”

Alexandra Brand continua: “Uma vez concluído, nem meados do final de novembro de 2018, teremos a oportunidade de estabelecer aonde pretendemos concentrar os nossos esforços. Os resultados das consultas ajudarão a formar a base de novos compromissos para, em conjunto, alcançar uma visão futura. Vamos estabelecer uma forma de acelerar o desenvolvimento de produtos e tecnologias que possam continuar atendendo às necessidades dos pequenos e grandes agricultores, além da sociedade no futuro. Também vamos aproveitar nossas descobertas para a evolução de nosso, bem-sucedido, Plano de Agricultura Sustentável para além de 2020. Esperamos anunciar, no início do próximo ano, como pretendemos avançar.”

Alexandra Brand ressalta que as sessões de escuta terão formatos diferentes, incluindo mesas redondas e conversas individuais. “Em todo o mundo, nós vamos nos aproximar diretamente desses diferentes grupos e indivíduos que, juntos, representam um recorte transversal daqueles que têm interesse no futuro da agricultura sustentável”.

Fonte: AI